Lesson 1, Topic 1
In Progress

Máscaras Tipo Venturi

São fabricadas em plástico transparente e são provavelmente o sistema mais habitual de todos os equipamentos portáteis de oxigénio.

A máscara possui uns orifícios de cada lado, de forma a permitir que se efetue a mistura entre o ar ambiente com o oxigénio em cada inspiração, e também para que saia o ar expirado.

Foi concebida para a administração de pequenas a médias concentrações de oxigénio. Segundo o seu fabricante, as máscaras tipo Venturi, podem administrar entre 35% a 60% de oxigénio inspirado necessitando de altos fluxos contínuos de oxigénio.

Atendendo à concentração moderada de oxigénio inspirado, o seu uso em mergulhadores acidentados não é recomendado.

MÁSCARAS COM VÁLVULAS UNIDIRECIONAIS E COM BOLSA RESERVATÓRIO


As máscaras com válvula unidirecional, também conhecidas como máscaras de baixo fluxo, ou de alta concentração, podem ser usadas quando o mergulhador acidentado respira de forma espontânea.

Estão projetadas de forma que o mergulhador acidentado inale o oxigénio a partir de uma bolsa reservatório situada debaixo da máscara. São constituídas por uma máscara transparente de plástico, com válvula unidirecional de ambos os lados da máscara, uma bolsa reservatório, e uma terceira válvula unidirecional entre a máscara e a bolsa reservatório. O tubo (catéter) de oxigénio deve ligar-se por baixo da válvula unidirecional situada entre a máscara e a bolsa reservatório, ou diretamente na parte inferior da bolsa.

Na inspiração o oxigénio flui desde da bolsa reservatório até aos pulmões do mergulhador acidentado.

Durante a expiração a válvula unidirecional impede que o ar exalado volte à bolsa, e este sai através das válvulas unidirecionais que se encontram nos lados da máscara. Simultaneamente durante a expiração a bolsa reservatório volta a encher-se de oxigénio puro.

Trata-se de um aparelho para a administração de oxigénio a altas concentrações e fluxo constante. Apresenta no entanto a desvantagem de necessitar de uma reserva considerável de oxigénio.

Estas máscaras são recomendadas para os mergulhadores acidentados com respiração espontânea que não toleram uma máscara com válvula a pedido ou quando existem vários mergulhadores acidentados que necessitam de oxigénio.

Esta máscara bem colocada na face, com um bom funcionamento das válvulas unidirecionais e aplicando a técnica correta, pode atingir uma concentração de oxigénio administrado de cerca de 90%. O mais habitual é no entanto atingir os 65% a 75% de oxigénio administrado.

SE CONSEGUIU APLICAR HERMETICAMENTE A MÁSCARA COM VÁLVULA UNIDIRECIONAL E A ADMINISTRAÇÃO DE OXIGÉNIO FOR INTERROMPIDA, PODE EXISTIR UM CERTO RISCO DE ASFIXIA. POR ISTO É MUITO IMPORTANTE NUNCA DEIXAR SOZINHO O MERGULHADOR ACIDENTADO E O SOCORRISTA DEVE ESTAR SEMPRE PRESENTE QUANDO ESTE DISPOSITIVO É USADO. LEMBRE-SE DE RETIRAR A MÁSCARA ANTES DE FECHAR A ADMINISTRAÇÃO DE OXIGÉNIO.

PROCEDIMENTO PARA O USO DA MÁSCARA COM VÁLVULA UNIDIRECIONAL E SACO RESERVATÓRIO

  1. Acalme o mergulhador acidentado e diga-lhe que o oxigénio o vai ajudar, que não é doloroso, nem prejudicial. Diga-lhe: “Isto é oxigénio e fará com que te sintas melhor. Posso efetuar a administração?”.
  2. Regule para o fluxo constante desejado.O fluxo mínimo recomendado para os mergulhadores acidentados é de 15 l por minuto. Pode ser necessário um aumento do mesmo de modo a que o saco reservatório se mantenha cheio.
  3. Encha totalmente o saco reservatório tapando com um dedo a saída da válvula unidirecional.
  4. Se o mergulhador acidentado usa óculos retire-os.
  5. Coloque-lhe a máscara tapando a boca e o nariz, assim que tiver obtido a suaautorização.
  6. Ajuste a precinta elástica á volta da sua cabeça.
  7. Aperte a mola metálica situada ao nível do nariz, para melhorar a união e evitarfugas de oxigénio para os olhos.
  8. Assegure-se de que o ritmo ventilatório do mergulhador acidentado é normal e que o saco reservatório continua cheio. Os parâmetros que nos indicam que o mergulhador acidentado respira de forma correta são: O movimento ascendente e descendente da caixa torácica, em cada ciclo ventilatório;
    O enchimento e o esvaziamento do saco reservatório;
    O movimento das válvulas unidirecionais.
  9. Se o estado físico do paciente o permitir, o mergulhador deve segurar por si mesmo a máscara de modo a melhorar a união da mesma.