Lesson 1, Topic 1
In Progress

Experimentação

Face ao historial que serviu de suporte às tabelas Büehlmann, do qual foram apresentados alguns aspetos, podemos agora avaliar a exaustão a que foram levadas as experiências que conduziram, finalmente, à adoção do algoritmo que maior segurança oferece aos utilizadores.

ESTUDOS RETROSPETIVOS


Quadro indicativo das experiências efetuadas:

TIPO DE MERGULHOSÉRIES DE EXPERIÊNCIASPESSOAS TESTADAS
Mergulhos simulados com ar
• Mergulhos simples, 30 a 44m
• Mergulhos sucessivos
• Descompressão em altitude após o mergulho

31
9
14

457
165
190
Mergulhos simulados com Heliox e O2
• Mergulhos simples, 30 a 35m
• Mergulhos profundos, 80 a 575m
• Descompressão em altitude após o mergulho

11
24
1

159
193
15

ESTUDOS DE PROSPEÇÃO


Entre 1986 e 1988, foram efetuados e analisados 498 mergulhos reais em altitudes entre os 1400 e os 3800m, a profundidades dos 12 aos 60m.

AMOSTRAGENS EM MERGULHOS SUCESSIVOS


Experiências com 127 mergulhadores, tendo sido feitos 127 segundos mergulhos sucessivos e 39 terceiros mergulhos sucessivos. Profundidade dos 32 aos 44m; Tempos de Fundo de 13 a 60 minutos; Intervalos de Superfície de 10 a 120 minutos.

EXPERIÊNCIAS EM MERGULHOS REAIS A GRANDE ALTITUDE


Foram feitas diversas experiências em vários locais do mundo e recolhidos dados de mergulhos feitos ao longo de quatro anos em locais a mais de 2000m de altitude.

  • Lago Titicaca, Peru (3800m), 1987. Durante três semanas, 17 mergulhadores efectuaram 290 mergulhos entre os 12 e os 39m. Não foram referidos sintomas de acidentes de descompressão.
  • Muttsee, Suíça (2500m), 1988. Durante dois dias, foram feitos 56 mergulhos entre os 24 e os 52m com 15 mergulhadores. Foram referidos dois acidentes de descompressão ao nível da pele.
  • Maciço do Kénia (4400 a 4780m), 1988. Foram feitos 18 mergulhos. Não foram referidos sintomas de acidentes de descompressão.
  • Amostragens em mergulhos efetuados na região de St. Gotthard (2134m), entre 1984 e 1988. Foram obtidos dados em 60 mergulhos, realizados por 40 a 50 mergulhadores. Não foram referidos sintomas de acidentes de descompressão.
Outros Dados Relevantes

A maior altitude de utilização da câmara hiperbárica foi a 4200m. As misturas respiratórias usadas foram ar, nitrox, heliox, e O2 para a descompressão. A maior profundidade atingida foi de 575m, durante duas horas. Foram feitos mergulhos em saturação entre os 30 e os 220m.

APLICAÇÕES PRÁTICAS


Foram várias as aplicações dadas às tabelas de descompressão Büehlmann, incluindo, naturalmente, o mergulho:

  • Construção do metropolitano de Munique, 1983-85. Condições de trabalho: pressão de 1.6 a 2.1bar, 6 a 8 horas diárias, 5 dias por semana. A razão de acidentes por mergulho foi de 6/850 (em comparação com 48/1377, enquanto foram usadas as tabelas alemãs do Ministério da Saúde e Trabalho)
  • Trabalhos de construção do caminho de ferro, perto de Berna, pela Companhia Federal de Caminhos de Ferro, Suíça, 1988-91. Condições de trabalho: pressão de 1.2 a 1.6bar, durante 4 a 6 horas por dia.
  • Tabelas de mergulho Büehlmann utilizadas em Inglaterra, Alemanha, Suíça, Áustria e pelas Marinhas Peruana e Boliviana, envolvendo 40.000 a 50.000 mergulhadores, desde 1986.
  • Utilização do algoritmo das tabelas de Büehlmann em diversos computadores de mergulho (desde 1984/85).