Lesson 1, Topic 1
In Progress

Coordenadas Geográficas

Para a utilização dos instrumentos atrás referidos é fundamental o conhecimento das coordenadas geográficas sem as quais é impossível referenciar qualquer ponto na carta. Partindo do pressuposto que já são conhecidos do leitor os pontos cardeais bem como o que são Círculos Máximos (Equador e Meridianos) e Círculos Mínimos (Paralelos) podemos definir latitude e longitude.

LATITUDE


Latitude (φ), é o arco do meridiano, compreendido entre o Equador e o paralelo que passa pelo ponto considerado. Mede-se de 0º a 90º para Norte ou para Sul a partir do Equador. Mede-se normalmente em graus e minutos de latitude.

LONGITUDE


Longitude (L), é o arco do Equador ou do paralelo, compreendido entre o Meridiano de referência (Greenwich) e o meridiano que passa pelo ponto considerado. Mede-se de 0º a 180º para Leste ou para Oeste a partir do meridiano de referência. Mede-se normalmente em graus e minutos de longitude.

Os paralelos e os meridianos são representados nas cartas por linhas retas perpendiculares entre si, sendo as respetivas escalas de latitude (escalas verticais) e escalas de longitude (escalas horizontais) divididas em graus e minutos.

A MARCAÇÃO DE UM PONTO NA CARTA


Um ponto de posição é definido numa carta náutica pelas suas coordenadas, ou seja, pelo cruzamento do paralelo que passa pela sua latitude com o meridiano que passa pela sua longitude.

DEVIDO À CURVATURA DA TERRA, A ESCALA DE LATITUDES É CRESCENTE, ISTO É, OS INTERVALOS REPRESENTATIVOS DE UMA MESMA DISTÂNCIA VÃO SENDO TANTO MAIORES QUANTO MAIS SE AFASTAM DO EQUADOR EM DIREÇÃO AOS PÓLOS.

EXEMPLO

O ponto P tem as seguintes coordenadas:

φ = 38º 08’N

L = 9º 06’W


RESOLUÇÃO

Sabendo estas coordenadas:

1 – Procura-se na escala lateral da carta a latitude do ponto que se vai marcar e abre-se o compasso entre a latitude e o paralelo mais próximo.

2 – Transporta-se essa abertura do compasso para os dois meridianos impressos na carta, mais próximos da posição a implantar.

3 – Unem-se as duas marcações nos meridianos por um traço, que representa um paralelo à latitude pretendida.

4 – Procura-se na escala horizontal da carta a longitude do ponto a marcar e abre-se o compasso entre a longitude e o meridiano mais próximo.

5 – Transporta-se essa abertura para o traço feito à latitude desejada e marca-se a posição do ponto pretendido cruzando essa abertura com o traço.

PARA RETIRAR DE UMA CARTA AS COORDENADAS GEOGRÁFICAS DA POSIÇÃO DE UM PONTO CONHECIDO, FAZ-SE A OPERAÇÃO IDÊNTICA, MAS INVERSA.

Além das escalas das coordenadas geográficas, nas cartas estão também representadas as linhas de batimétrica, que unem os pontos referenciados com igual profundidade, os quais indicam a Sonda reduzida (Sr) naqueles locais. As cartas náuticas têm ainda outras indicações sob a forma de símbolos e abreviaturas, cujo significado se encontra no Catálogo de Símbolos e Abreviaturas do IHM atrás referenciado.