Lesson 1, Topic 1
In Progress

CMAS Underwater Cultural Heritage

1.  OBJETIVO DO CURSO

Apresentar aos mergulhadores aspetos do património cultural subaquático em água doce e marinha.

  • Destacar os diferentes tipos de património cultural subaquático.
  • Ajudar os mergulhadores recreativos a reconhecer locais de património cultural subaquático
  • Aumentar a consciencialização sobre a proteção do património cultural subaquático.
  • Melhorar a experiência pessoal dos mergulhadores recreativos, aumentando o seu conhecimento e consciência sobre os locais de património cultural subaquático bem como as suas características.

2. CLASSIFICAÇÃO

  • Este curso CMAS Underwater Cultural Heritage está classificado como sendo uma especialidade de nível inicial para mergulhadores recreativos.

3. COMPETÊNCIAS

No final do curso, o mergulhador deve:

  • Reconhecer sítios arqueológicos subaquáticos e apreciar a sua importância.
  • Mergulhar de forma sustentável devido a uma compreensão mais abrangente do património cultural subaquático.
  • Conhecer o processo de comunicação de descoberta de potenciais sítios arqueológicos às autoridades competentes.

4. PRÉ-REQUISITOS PARA PARTICIPAR NO CURSO

Para poder participar no curso CMAS Underwater Cultural Heritage, o participante deve:

  • Ser filiado na CMAS Portugal.
  • Ter idade mínima de catorze (14) anos; não há limite superior de idade.
  • Ter a certificação CMAS One Star Diver ou equivalente.
  • Assinar a declaração, requerida pela CMAS Portugal, de que tem conhecimento dos riscos inerentes ao curso. É necessária a assinatura do representante legal quando o aluno é menor de idade.

5. INSTRUTOR E ASSISTENTES

  • O curso CMAS Underwater Cultural Heritage pode ser lecionado por qualquer instrutor CMAS com a qualificação mínima de instrutor CMAS One Star (M1), que esteja filiado na CMAS Portugal e tenha o seu teaching status ativo.
  • O instrutor deve possuir a especialidade CMAS Underwater Cultural Heritage Instructor.
  • O instrutor pode ser assistido por mergulhadores CMAS Two Star Diver (P2) que sejam filiados na CMAS Portugal e apresentem um perfil pessoal e científico nas áreas da arqueologia, bem como formação   académica ou comprovada experiência profissional na área da arqueologia. Estes assistentes de instrutor não apresentam competências de planeamento de segurança e guia de mergulho associados às funções de líder de mergulho. Deve apenas atuar como um praticante de mergulho, ajudando o instrutor e líderes de mergulho, a identificar no local do mergulho os locais arqueológicos de interesse.

6. RÁCIO INSTRUTOR/ALUNOS

O rácio de instrutor/alunos apenas se aplica às sessões práticas: um instrutor para seis alunos.

7. PARÂMETROS DAS AULAS TEÓRICAS

O instrutor CMAS deve assegurar que a sala de aulas é adequada em dimensões e condições de conforto às necessidades do curso e ao número de alunos, ter material didático adequado à exposição dos temas a ministrar, de maneira que os alunos tenham condições para apreender os conteúdos que estão a ser lecionados.

8. COMPONENTE DE FORMAÇÃO TEÓRICA

A componente teórica é composta por 3 unidades de formação:

Teoria I: – “Introdução à Arqueologia Náutica e Subaquática”

  • Fornece informações gerais Arqueologia, Arqueologia Subaquática, Arqueologia Náutica, Arqueologia vs. Resgate / “Caça ao Tesouro”
  • Introduzir aos mergulhadores os diversos aspetos do Património Arqueológico Subaquático.
  • Ajudar os mergulhadores recreativos a reconhecer locais com elevado potencial no âmbito do Património Arqueológico Subaquático.

Teoria II: – “História da Arqueologia Subaquática em Portugal”

  • Inclui abordagem ao Património Subaquático em Portugal e Legislação e organizações internacionais.

Teoria III: – “Comunicação de Achados Arqueológicos”

  • Dá uma visão geral da legislação nacional, regras internacionais e a convenção da UNESCO de 2001 e do Código de Ética da UNESCO.
  • O dever do mergulhador recreativo na comunicação de achados arqueológicos em defesa do Património Arqueológico Subaquático.
  • Abordagem ao procedimento de comunicação de achados arqueológicos.

9. COMPONENTE DE FORMAÇÃO PRÁTICA

A componente de formação prática inclui dois mergulhos:

Prática I: – “Mergulhar em um local com património cultural subaquático”

  • Os mergulhadores devem aprender a realizar um mergulho em grupo em um local com património cultural, demonstrando comportamentos e competências técnicas de segurança e de preservação do local. 

Prática II: – “Encontrando um potencial local de património cultural subaquático – Comunicar”

  • Os mergulhadores deverão simular o processo de descoberta de um local com potencial património cultural subaquático.
  • O que fazer em caso de localização de património cultural subaquático?
  • Como comunicar este achado às autoridades competentes? 

10. REQUISITOS PARA A CERTIFICAÇÃO

Para obter a sua certificação CMAS Underwater Cultural Heritage, o aluno deve:

  • Cumprir todos os pré-requisitos
  • Completar com sucesso todos os módulos

11. CERTIFICAÇÃO

Completado com sucesso o programa do curso, será entregue ao aluno um cartão CMAS Underwater Cultural Heritage.